Entenda por que o TDAH é questão de saúde pública

Durante minha participação na Roda de Conversa sobre Transtornos Mentais, promovida pelo MOVIN em Brasília-DF, eu expliquei por que cuidar do TDAH deve ser uma prioridade no Brasil e uma questão de Saúde Pública, derrubando o argumento de que é oneroso ao estado cuidar dessas pessoas e dessas crianças.

Acompanhe o vídeo até o final para compreender melhor.

Vídeo gravado em 23/05/2018.

Os Dados:

– Adultos com TDAH tem risco 40% maior de separação conjugal;

– Pais TDAH com crianças TDAH, não conseguem tratar os filhos direito, a relação entre eles costuma ser distante e difícil, com risco maior de serem abandonadas pelos pais quando hiperativas, ou preteridas dentro da mesma família;

– Crianças com TDAH tem alterações no ritmo cicardiano (conhecido como ciclo biológico de 24h), 80% dessas crianças tem dificuldades para dormir ou sono irregular, dormem mal e acordam cansados, o que ajuda a agravar os problemas de aprendizado e alterações de humor;

– Crianças e adolescentes com TDAH possuem risco 3 a 4x maior de abandono escolar, 4x mais risco de repetência, 3x mais risco de se envolver com más companhias, 4x mais risco de se envolverem com drogas e serem hospitalizadas por overdose;

– 30% das crianças com TDAH tem atraso de fala, 30 a 40% costumam ter atraso motor e maior dificuldade de adaptação à escrita;

– Crianças com TDAH apresentam maior dificuldade de interação social nas creches e escolas, essas crianças sofrem mais bullying durante a adolescência;

– Existem artigos sólidos que demonstram que indivíduos TDAH tem 3x mais risco de suicídio, 3 a 4x mais risco de desenvolver depressão, transtornos de ansiedade e quadros psicóticos, de terem problemas com a justiça e indo para a cadeia se não forem tratados adequadamente à tempo e precocemente;

– Indivíduos com TDAH tem risco maior de se envolverem em acidentes de trânsito e acidentes de maior gravidade;

Fontes:

Family-Environment Risk Factors for Attention-Deficit Hyperactivity DisorderA Test of Rutter’s Indicators of Adversity
https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/article-abstract/497107

Child Maltreatment, other Trauma Exposure, and Posttraumatic Symptomatology among Children with Oppositional Defiant and Attention Deficit Hyperactivity Disorders
http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/1077559500005003001

Promoting Family and School Success for Children With ADHD: Strengthening Relationships While Building Skills
https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/00405841.2010.534937

The Effects of Children’s ADHD on Parents’ Relationship Dissolution and Labor Supply
https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=1958748

ADHD’s Impact on Relationships: 10 Tips to Help
https://psychcentral.com/lib/adhds-impact-on-relationships-10-tips-to-help/

Abraços,

Yuri Maia​

Baixe gratuitamente o e-book 26 DICAS DESCOMPLICADAS PARA AJUDAR O TDAH EM FAMÍLIA.
Baixe Aqui: http://bit.ly/ebooktdahdescomplicado

O programa Meu TDAH já ajudou várias mães a lidarem com seus filhos TDAH em casa e na escola. Inscreva seu e-mail para saber mais e ficar por dentro da próxima turma: http://www.meutdah.com

Siga nossas redes sociais:
www.tdahdescomplicado.com

Instagram: www.instagram.com/tdahdescomplicado
Facebook: www.facebook.com/tdahdescomplicado
YouTube: www.youtube.com/tdahdescomplicado