TDAH pode acarretar compulsão alimentar e obesidade

Via Diário do Nordeste

Pessoas diagnosticadas com Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) têm mais risco de serem obesas. Os pacientes não controlam o impulso alimentar e comem muito, mesmo sem fome, em um curto espaço de tempo. O psiquiatra Erasmo Casella explica a relação dos casos. A falta de concentração é um dos sintomas do TDHA.

O Transtorno

O TDAH é uma alteração química no cérebro que leva a alterações de comportamento. Os neurotransmissores dopamina e noradrenalina são afetados: a produção diminui, o receptor pode ser mais fraco ou o transportador que recupera o neurotransmissor durante a sinapse não é efetivo.

Um dos problemas de quem tem TDAH é a compulsão alimentar. A falta de controle faz com que a pessoa não consiga pensar a longo prazo. Assim, quem possui o trantorno, corre mais risco de ser obeso e vice-versa.

Como a ação da dopamina não é efetiva, ela causa problemas no sistema de recompensa do cérebro. Esse neurotransmissor é responsável pelo autocontrole, por isso o ato de comer tornar-se impulsivo e compulsivo. Pessoas com TDAH costumam optar por alimentos mais calóricos e gordurosos. Outra teoria é de que o excesso de açúcar no organismo promove a diminuição nos receptores de dopamina.

É comprovada a existência de um gene comum que facilita a obesidade e o TDAH, então a pessoa que tem esse gene, pode ter os dois problemas. Quem tem obesidade, geralmente, também sofre de apneia do sono, dorme menos e fica mais cansado durante o dia, o que leva a um déficit de atenção secundário à obesidade.

Estudos comprovam que o controle do distúrbio por meio de intervenção medicamentosa e terapia também conseguem emagrecer. Portanto, uma criança com TDAH controlado, não necessariamente será um adulto obeso.